27 de mai de 2014

O Cristão e a Cerveja

 
Às vezes as nossas discussões ficam na porta de entrada do problema. Veja, por exemplo, a questão da cerveja. É comum ver cristãos discutindo se é lícito ou não beber cerveja, quando na realidade a discussão seria: O que há por trás do comércio da bebida alcoólica, e em que se investe o dinheiro advindo do comércio das cervejas?
 
Por exemplo, uma parcela significativa daquilo que as cervejarias arrecadam com a venda de seus produtos é reinvestido em comerciais e patrocínio de eventos que, dentre outras coisas, visam fortalecer o comércio, e isto inclui arrebanhar novos consumidores, na esperança de torna-los os futuros alcoólatras que vão sustentar seus “impérios”. Será que estou exagerando?
 
Ninguém é bobo, quanto mais cedo começa o consumo (vício) mais o sujeito contribuirá durante a sua vida com a indústria da bebida. Portanto, as crianças e adolescentes são alvos das cervejarias. E enquanto você bebe e tenta justificar biblicamente que não há pecado nisso, as indústrias de cerveja vão agradecendo por sua “generosa” contribuição na manutenção dos novos viciados. Afinal, amanhã elas terão mais “cervejólatras” graças ao seu investimento.
 
O que é mais lamentável nesta história é que todos os desdobramentos desta miséria chamada consumo de bebida alcoólica (acidentes, crimes, separação de casais, enfermidades e tantos outros males) são custeadas por aqueles que defendem, compram e consomem bebidas. Entre os quais, muitos ditos cristãos.
 
Lamentável!

Nenhum comentário:

Postar um comentário