8 de mai de 2013

“Artistas Evangélicos da Globo”



Recentemente fizemos uma postagem intitulada Desafios da Contextualização no Sertão Nordestino,  onde nos referimos a alguns irmãos como “artistas evangélicos da globo”. Percebemos que não fomos bem entendidos, por isso pontuamos aqui o seguinte esclarecimento:

1. Chamamos de “artistas evangélicos da globo” porque temos certeza que o contrato desta emissora é feito com o(a) artista e não com o(a) missionário(a).  

2. A expressão está entre aspas (“”) porque não consideramos conclusiva.

3. Entendemos que não há nenhum fundamento espiritual e cristão na intensão contratual da Som Livre, mas sim, um relacionamento estritamente profissional que visa, exclusivamente, lucros para a empresa e para o interessado.

4. O slogan “você adora, a Som Livre toca” é apenas um chamariz para abocanhar uma fatia do “mercado gospel de música”.

5. Pelo bojo das matérias, programas, novelas e tantas outras atividades desta organização, fica patente que ela não tem interesse na expansão do Reino de Deus.

6. Nossa intensão, no contexto daquilo que escrevemos no texto supra citado, foi de mostrar que as igrejas sertanejas tem recebido informações e influências, também, através da TV.

Portanto, não houve da nossa parte, intensão de polemizar a postura cristã daqueles que têm trilhado seus caminhos neste tipo de mídia, nem com aqueles que têm contrato profissional com a gravadora em questão.


Em Cristo,


Marcos Sal da Terra


Leia mais: Reflexões




  

Nenhum comentário:

Postar um comentário