25 de set de 2011

Falar é Fácil


Jonas 1:1-16

"Falar é fácil..." Este é um adágio bem curto e que usamos como escudo quando somos colocados à prova. Às vezes encontramos saída para escapar da nossa responsabilidade com respostas furtivas como esta. Quantas vezes já me defendi , dizendo? “Falar é fácil!”
Com relação à postura de Jonas, diante do chamado feito por Deus para que ele pregasse aos ninivitas, por muito tempo eu ouvi e fiz parte do coro de gente que o chama de profeta fujão, de profeta relutante ou coisa do tipo. Meu dedo sempre esteve em riste, apontando para a desobediência de Jonas.

Falar é fácil!

Mas quando analisamos com franqueza o contexto desta história narrada no livro de Jonas, percebemos que ele, naquele momento, foi apenas UM CRENTE NA MÉDIA diante do desafio que Deus deu para ele. O povo assírio de Nínive era famoso por sua atrocidade; aquele lugar era conhecido como cidade dos ladrões, tinha uma gente cruel, corrupta, imoral e bruta, famosa pela forma bárbara com que tratava aqueles aos quais saqueavam. E, como se não bastasse, os israelitas, por vezes, eram vítimas das investidas dos ninivitaa. Portanto, se tornaram inimigos deles.

Em síntese, assírio não gostava de israelita, israelita não gostava de assírio! Havia um acirramento, um embate social e político; havia medo e podemos somar a estes fatos, uma viagem de 1.300 Km!

Neste contexto de limitações afetivas e de receio, Deus dá a ordem à Jonas: "Levanta-te vai à grande cidade de Nínive e clama contra ela." Aí, vemos então que:

1. Jonas foi um CRENTE NA MÉDIA quando tomou a direção oposta à de Deus (Jn 1:3). Desobediência é a nossa média. Ele foi para Társis, uma viagem mais atrativa, para um lugar mais atrativo.

2. Jonas foi um CRENTE NA MÉDIA quando causou problema para outros (Jn 1:4). O barco quase afunda por causa da sua postura errada.

3. Jonas foi um CRENTE NA MÉDIA quando foi insensível com a iminente destruição dos ninivitas e da tripulação do barco (Jn 1:4,5). Ele dormia enquanto a tempestade assolava o barco. Ele ia na direção oposta enquanto os ninivitas estavam prestes a serem sentenciados definitivamente por Deus.

Porém, Jonas também:

1. Foi um CRENTE ACIMA DA MÉDIA quando assumiu sua fé (Jn 1:9) “Eu sou hebreu e temo ao Senhor" (o mundo precisa saber quem Eu Sou).

2. Foi um CRENTE ACIMA DA MÉDIA quando assumiu sua responsabilidade (Jn 1:12b) “Por minha causa sobreveio esta grande tempestade”. Somos luz no velador e sal fora do saleiro?

3. Foi um CRENTE ACIMA DA MÉDIA quando mudou de atitude saindo do ostracismo (Jn 1:12a) “Lançai-me ao mar e o mar se aquietará” (em outras palavras: “É comigo!”).

Ficar na média ou acima da média? Obedecer ou não obedecer à Deus? Ser cristão que entra e saia de um lugar e ninguém percebe a nossa fé ou fazer a diferença, assumindo nossa responsabildade?

Minha oração:
“Senhor... O Senhor sabe que por mim, tal qual Jonas, eu iria para Társis. Por isso eu te peço: Ajuda-me a ir para os lugares que nada me são atrativo, mas que estão dentro dos teus planos”.

Em Cristo,

Marcos Sal da Terra.

Leia mais: Reflexões


 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário