9 de set de 2010

O que Era, que Será?



É importante ouvirmos os dois lados de uma questão. Recentemente recebi dois pontos de vistas bem distintos com relação as eleição para presidente do Brasil. Uma foi o vídeo do Pastor Pascoal Piragine. O outro foi a carta aberta ao Pr. Pascoal Piragine (por Geter Borges de Souza - http://blogdoedvar.blogspot.com).

Aliás, eu faço coro com o pastor Piragine em vários pontos do seu vídeo e também me identifico com ele no que se refere ao não envolvimento explícito com a política. Já no tange o ponto de vista do Sr. Geter Borges, para ser franco, achei bastante frágil.

Não enviei nem um dos dois pontos de vistas aos meus contatos por considerar que tanto um quanto o outro contém falhas.

Porém, dizer que a candidatura da Ministra Dilma não reflete algumas posições, escandalosamente contrárias ao Evangelho é desconsiderar o bom senso. Veja, por exemplo a questão do aborto. Não há como negar que há esta tendência dentro das intenções do PT. Claro que tal fato não reflete o pensamento de todos, mas, a uma parte significativa e influente desta agremiação. No entanto, negar coisas assim é a mesmo que querer nos fazer crer que o nosso presidente e querido conterrâneo, não sabia da existência do "valerioduto". Ah, tenha paciência!!!

Acho que esta eleição já "são favas contadas". Então resta-nos votar de acordo com a nossa consciência, esperar e acompanhar de perto para ver no que vai dar. Tomara que estejamos errados (eu, Pr. Pascoal e tantos outros que têm a mesma impressão) e que tudo dê certo, que o Brasil melhore e mude de fato.

E que a "profecia" de Chico Buarque de Holanda esteja errada quando ele disse (mesmo quando defendia que o Brasil mudaria quando mudasse da direita para esquerda):

O que não certeza, nem nunca terá
O que não tem conserto, nem nunca terá
O que não tem tamanho...

O que não tem descência, nem nunca terá
O que não tem censura, nem nunca terá
O que não faz sentido...

O que não tem governo, nem nunca terá
O que nao tem vergonha, nem nunca terá
O que não tem juízo.

Por fim, vejo que a nação brasileira, com relação a política, assemelhasse "a um cachorro que caiu do caminhão de mudança". Porém, particularmente, continuarei lutando e acreditando em dias melhores.

Que Deus tenha misericórdia,

Saudações,

Marcos Sal da Terra


Leia mais: Reflexões



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário