11 de mai de 2010

Os Dez Leprosos, um Fracasso?

Se nós estamos trabalhando na dependência do Pai e com empenho, não existirá falta de resultados, posto que "a Palavra de Deus não volta vazia"(Is. 55:11).

Temos que entender que há aquela semente que cai na beira do caminho, outra semente que cai em meio aos espinhos, outra ainda em solo rochoso. Há, porém, aquela semente que encontra terra fértil. É necessário que entendamos que são poucas estas sementes que encontram solo bom e propício (Mt 13. 1-8).


Porém, o "evangelástico" (o evangelho dos números espetaculares), é tentador e temos, nós missionários, parcela de culpa pela existência deste tipo de evangelho, uma vez que nós sabemos que a história de missões não é escrita só com fatos espetaculares.

Por exemplo, em Lucas 13:34 vemos o seguinte consideração de Jesus: “Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas, e apedrejas os que a ti são enviados! Quantas vezes quis eu ajuntar os teus filhos, como a galinha ajunta a sua ninhada debaixo das asas, e não quiseste!” Ele mesmo, na sua terra "não fez muitos milagres por causa da incredulidade" do povo.

Veja também o discurso de Paulo no Areópago (Atos 17:22 a 34). No final, com tanta eloquência e unção, apenas alguns homens se converteram.

Em síntese, em determinadas circunstância o apóstolo Paulo e até o próprio Jesus pregaram e as suas mensagens resultaram em poucas conversões. Devemos então tomar estes episódios como fracassos?

Entendo que, por vezes, queremos que sempre ocorra o que ocorreu em Atos 2:41. Queremos os quase 3 mil convertidos em nosso caminho e história, esquecendo que pode ocorrer fatos como o narrado nas história dos dez leprosos curados, onde apenas um voltou para adorar a Jesus (lucas 17:17).




Temos, ainda, que estar atentos também a nossa vaidade. Por que queremos os resultados de conversões? Por que amamos os que estão perdidos ou porque queremos números para os nossos relatórios e relatos?

Para Deus o importante é que o Evangelho seja pregado a todas as nações (Mc 13:10). Para nós, muitas vezes, é que o Evangelho produza muitas conversões porque isso nos confere status.

Temos que entender que a palavra é espada de dois gumes (Hb. 4:12) e que esta produz salvação (aos poucos que são escolhidos) e juízo (entre os muitos que são chamados).

O problema é que, muitas vezes, erramos quando queremos abastecer de histórias de conversões e curas fantásticas um público que nos paga para que proporcionemos este espetáculo. Talvez, no mínimo, porque ficamos receosos em frustrar as expectativas da igreja.

Você pode me perguntar: "Mas os sinais não acompanham aos que crêem?" Eu respondo com franqueza: "Claro que acompanham!" Mas, o juízo, a dureza de coração, a frieza espiritual, a incredulidade também são sinais, ou não? Ou sinal para Deus são só as coisas "boas" que acontecem? Guerra, fome... e tantas outras coisas são sinais para Deus.

Portanto, devemos acalmar o nosso coração, continuar pregando o Evangelho e esperando em Deus pelas respostas sejam elas quais forem e no tempo que vierem.


"Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu Reino. Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda loganimidade e doutrina. Porque virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências; E desviarão os ouvidos da verdade, voltando às fábulas. Mas tu, sê sobrio em tudo, sofre as aflições, faze a obra de um evangelista, cumpre o teu ministério". (2 Tm 4:1-5)


Marcos Sal da Terra


Leia mais: Reflexões






Um comentário:

  1. VOCÊS SÃO UMA BENÇÃO! ALCANÇAM NÃO SOMENTE AOS PERDIDOS COMO ABRAÇAM A ALMA DOS MISSIONÁRIOS QUE ESTAM NOS CAMPOS E NECESSITAM DE REFORÇO. QUE DEUS OS CONSERVEM ASSIM, UM CANAL DA GRAÇA DO SENHOR!

    LUCIANO E WYTLA

    ResponderExcluir