25 de set de 2008

Dois, Três ou Milhares?

 
Existem distintamente, no Brasil, duas igrejas. Uma igreja que se vê e outra que é quase invisível. A Igreja que se vê, na sua grande maioria, é aquela que impressiona pelos números, pelo marketing, pela sua imponência. Um verdadeiro show da fé...
 
A igreja que se vê dispensa comentários e apresentações, pois ela já é bem conhecida. Porém, a igreja quase invisível é diametralmente oposta, pois seus números não encantam, sua aparência não atraia, seu acesso é difícil e, talvez por isso, para ela o trato, o cuidado e o amparo têm sido tão raros.
 
Visitamos uma igreja assim, a Igreja Batista de Renovação, no Sítio Serra Branca, em Ibimirim, no sertão do Pajeú, em Pernambuco. (não procure no mapa, a estradinha que nos conduz para este lugar não está lá) .


Uma congregação com dois membros! É possível? É sim, pois, onde estiverem dois ou três reunidos no nome do Senhor, ali Ele estará. Zé Gabrié e Edvaldo estão lá, valentes, resistentes, vivendo literalmente pela fé, sobrevivendo a despeito da quase invisibilidade da sua igreja. Esquecidos da grande maioria dos homens, porém, queridos e lembrados pelo Altíssimo. Alentados, graciosamente, pela esperança de uma dia estarem no céu com Nosso "Sinhô".
 
Se você não conhece esta igreja, Deus a conhece e chama cada um dos seus membros pelo nome. Se você não a ama, Deus a ama a ponto de ter morrido por ela comprando-a com o seu próprio sangue. Para Cristo não importa se a igreja está perto ou longe do asfalto, se no seu caixa tem um milhão ou apenas um centavo, se é composta por dois membros, três ou milhares. Até porque, para o Pai, a conta é simples, onde estiveram dois ou três ali, Ele estará!
 
E independentemente da indiferença da igreja visível, a história da igreja quase invisível vai sendo escrita pelos Zé Gabriés e Edvaldos. Exemplos de fé para os visíveis.
 
 
Em Cristo,
 
Marcos Sal da Terra
 
 
 
Leia mais: Reflexões
 
 
 

2 comentários:

  1. Impressiona este relato. Deus o abençoe!

    ResponderExcluir
  2. Eu entreguei minha vida a servir ao Senhor. Não quero mais instituições, não quero mais burocracia, não quero mais reconhecimento, não quero mais mascaras e hipocrisia. Meu ministério começa agora, e não é dentro da igreja visível.
    Abraço, Marcos

    ResponderExcluir