24 de jan de 2015

A síndrome de Golias


                         

Na semana passada acordei com meu celular tocando. Passava da meia noite, sonolento atendi e do outro lado da linha um policial do sertão cearense perguntou se eu conhecia um rapaz “novinho” e magrinho que tinha um moto CG 125, vermelha.  Acrescentou, que aquele rapaz tinha acabado de falecer durante uma tentativa de assalto que ele e outro comparsa tentaram fazer a um posto de gasolina, e que o único contato existente que conseguiram com ele, (uma vez que o seu comparsa havia se evadido) era  uma mensagem em celular endereçada ao meu, que datava de fevereiro do ano passado (quase um ano).
Curioso, procurei em minha agenda quem poderia ter me enviado uma mensagem daquele celular naquela data, e encontrei uma atividade com a Banda Sal da Terra a uma Igreja na Cidade de Santa Cruz do Capibaribe – PE... O celular havia sido furtado? Possivelmente, sim. Era o único nexo que fazia aquela história.
Este fato foi constatado. Após um culto nas proximidades do Distrito de Serra Branca, sertão pernambucano, no caminho de volta, três dos nossos voluntários foram abordados por dois jovens em uma moto CG 125, vermelha. Estes levaram, apenas, alguns pertences, inclusive o celular com a mensagem endereçada ao meu número.
Durante o assalto, “de barriga no chão” e sob a mira de uma arma de fogo, os nossos missionários se identificaram, disseram que estavam ali pregando o Evangelho... “Eu também já fui crente”, interrompeu um dos assaltantes.
Quando saiam do local, aquele que dissera “eu também já fui crente”, perguntou: "Você ainda acredita em Jesus?” O irmão que acabara de perder o celular respondeu: “Claro que sim!” “Amém"! Retrucou o jovem enquanto se evadia. Senhor de si, dono da situação e com a autoridade conferida pelo revolver, seguiu noite a dentro e, não muito longe dali, chegou a um posto de gasolina para mais uma “parada”. Porém, dessa vez houve reação e dois tiros tiraram a vida de um daqueles jovens.
Este fato lembrou a história de Golias, o gigante encouraçado, destemido e temido, que empunhava espada, lança e escondido atrás do seu escudo zombava da sorte e do medo: “sou eu algum cão, para tu vires a mim com paus?” -  perguntou a Davi.
Da mesma forma, o jovem franzino de 19 anos, se agigantou por trás do revólver. Ele era poderoso, ágil, esperto e corajoso o suficiente para desdenhar daqueles que cruzassem o seu caminho. A pergunta do “ex-crente” (que não sei se foi exatamente o que foi alvejado), “você ainda crê em Jesus?” aparentemente retrava a sua empáfia, era como se ele dissesse: “Você ainda crê em Jesus? Eu sigo sem ele, sou auto suficiente, eu tenho meu revólver, a noite e a moto”.
Assim vive o homem  sem Deus, se agarrando em suas vaidades, em seus valores passageiros, e confiando no seu poder. Foi assim com Golias, apegado as suas vaidades, aos seus valores e ao seu tamanho ignorou o alerta dado por Davi “eu irei contra ti em nome do Senhor dos exércitos!”. Ele sabia que existe um Deus maior que tudo! 
Da mesma forma, aquele jovem seguiu seus próprios passos sob o lastro da sua auto suficiência. “Você ainda é crente?” A CG 125 vermelha,   engata a primeira marcha  e envereda pela escuridão da noite, rumando para a morte.
Talvez, quem sabe, naqueles pouco mais de 50 Km rodados até o local do trágico desfecho, Deus tenha novamente falado ao seu coração. Quem sabe  Golias tenha ouvido a voz de Deus nas palavras, na fé e bravura de Davi, e durante os seus passos em direção aquele bravo e pequenino guerreiro do Senhor, tenha tido tempo suficiente para refletir e mudar sua postura, sua trajetória?
Golias e o jovem assaltante, blindados pela soberba seguiram para a morte, ignorando os sinais e alertas que lhes tinham sido dados. O final de ambos foi trágico!
Que a graça do Senhor nos alcance enquanto estamos caminhando, que Ele nos traga arrependimento e nos confira reconhecimento da nossa insignificância. Que resistamos em dirigir nossos passos na direção errada, em engatarmos um primeira marcha e acelerarmos para a morte noite a dentro.
“Disse-lhes Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim” João 14:6
“Arrependei-vos, portanto, e convertei-vos para que assim sejam apagados os vossos pecados” Atos 3:19

Texto base: 1 Samuel 17:1-54



22 de dez de 2014

Atos 1:8 - Sertão / Janeiro de 2015 (Programa de Evangelização no Sertão - PES)

“Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. Atos 1:8”
O sertão é uma das samarias brasileiras. Este não é um “papo piegas”, essa é a nossa realidade. O sertanejo é tantas vezes hostilizado, esquecido e renegado. Os Judeus da época de Jesus detestavam samaritanos por que eles praticavam um judaísmo sincrético, este era um motivo suficiente para o desprezo e a antipatia. Da mesma forma o sertanejo, por vezes, tem sido relegado ao segundo plano nas intervenções políticas e sociais. E se não bastasse, também nas intervenções religiosas cristãs. O Evangelho por aqui anda lentamente, as ações da Igreja são insuficientes diante do desafio de alcançar esta região e a sua gente.
A realidade do texto lido acima continua a mesma,  Deus fez a sua parte, honrou a Sua palavra. Quando Jesus disse que não nos deixaria órfãos, Ele não estava querendo consolar os discípulos que andavam desalentados e receosos com as circunstâncias adversas que eles estavam passando. De fato, Ele enviou o seu Espírito, e assim como aqueles que caminhavam na estrada de Emaús, desde os dias de pentecostes nós temos hoje a Sua companhia, presença e  consolo, mesmo que não o vejamos, nem o percebamos, mesmo que as adversidades não nos deixe percebê-lo.
Porém, há uma finalidade prática para a presença de Deus em nossas vidas. Sermos testemunhas Dele, anunciarmos as suas grandezas, a salvação, aquilo que Ele fez, tem feito e fará. “...(anunciai a sua salvação de dia em dia.
Anunciai entre as nações a sua glória; entre todos os povos as suas maravilhas”Sl 96:2-3)
Agora em Janeiro, mais uma vez Deus nos dará a oportunidade de testemunharmos além das fronteiras das “nossas Jerusaléns”. De sairmos dos shoppings, das redes sociais, do convívio confortável, de junto da nossa família e igreja. Teremos a oportunidade de irmos a “Samaria sertaneja”. Essa será uma experiência fantástica! Poderemos participar daquilo que os nosso irmãos lá em Atos 2:44-47 participaram. Estaremos juntos, com “tudo em comum”, dormindo no mesmo chão, usando o mesmo sanitário, comendo a mesma refeição, acordando na mesma hora... Estaremos juntos na oração, no compartilhar do pão, e veremos (com a graça de Deus) o Senhor acrescentar, durante aqueles poucos dias, os que serão salvos.
Mais de cem pessoas vindas de tantos lugares, se juntarão nesse espírito vivido em Atos, e sob a orientação do mesmo Espírito,essa gente especialmente convocada por Deus, disporá dos seus bens, do seu tempo e do seu talento em favor dos Samaritanos sertanejos.
A você que virá, fica aqui a nossa palavra de agradecimento e encorajamento. Serão poucos dias, é verdade, mais será um tempo intenso e pleno do derramar e do agir de Deus. Juntos, teremos a oportunidade de escrevermos uma linda página em nossas vidas e de participarmos ativamente da obra missionária sertaneja.
Caso, por circunstâncias tantas, não tenha dado para você vir, eu o estimulo a participar com a gente orando por nós, pedindo a Deus que nos abençoe em tudo.

Um grande abraço e até lá!  

18 de nov de 2014

Uma cidadã do céu


“Tem gente tão especial que parece que não é daqui e Deus recolhe mais cedo” Esta frase eu ouvi de um pastor amigo meu. Norma era assim, o seu proceder era de uma cidadã do céu... 
O Pai, em sua soberania e graça a tomou em seus braços e a levou para lá.
É claro que ela vai deixar saudades!

Contudo, agradeço ao Senhor por ter a conhecido e convivido com ela. Foram dias especiais.

11 de nov de 2014

Esta cena mostra o Batismo de Janete, na congregação Presbiteriana em Caiçarinha da Penha, distrito do município de Serra Talhada, sertão pernambucano. 
Veja o relato da missionária Ana Cláudia, que trabalhou com crianças naquele lugar:
“...como orei por Janete! Mãe das minhas aluninhas, não deixava as meninas irem à igreja. Hoje uma serva de Deus! Glória ao Senhor!!!”

Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 2 Coríntios 5:17